Pesquisar

Ministérios

Login

Usuário:

Senha:


Esqueceu a senha?

Internauta, siga-nos!

Faça um postSiga-nos no TwitterSiga-nos no Twitter

Usuarios on-line

4 visitantes online (1 na seção: Artigos)

Usuários: 0
Visitantes: 4

mais...
SOLIDÃO NO CASAMENTO – É POSSÍVEL?
  Enviado em 24 Jun 2010 por adelman (1236 leituras)
SOLIDÃO NO CASAMENTO – É POSSÍVEL?
Por: Psic. Elizabete Bifano


O que é solidão? Gostaria de definí-la de uma maneira bem simples: sensação de estar desacompanhado, de não ser compreendido, de pensar e sentir só.

Erroneamente, muitas vezes pensamos que basta estar na companhia de alguém para não sentir solidão. No entanto, comumente nos deparamos com a sensação de estar só, mesmo quando rodeados por pessoas. Isto porque a solidão é um sentimento, não a ausência de pessoas.

Comentando sobre o grupo de pessoas solteiras ou descasadas, chamado por muitos de "grupo dos sós", uma irmã da igreja, descasada, dizia: "Não gosto desse nome, eu nunca me sinto só, porque tenho meus filhos".

Em contrapartida, já ouvi muitas queixas de irmãs casadas, por se sentirem sós, mesmo ao lado de seus maridos e filhos. Sendo assim, podemos concluir que é perfeitamente possível sentir solidão mesmo estando casado e isto é normal, porque jamais alguém será totalmente compreendido em tudo que fala ou faz, totalmente aceito pelo que é ou está de bom humor em todas as circunstâncias.

Muitas vezes nosso comportamento faz com que nosso cônjuge se afaste de nós. Outras vezes, o comportamento dele faz com que nos afastemos dele. Noutras vezes, pode ser que nenhum dos dois saiba como se aproximar devidamente um do outro e, pode ser, ainda, que por mais que um implore atenção ou compreensão, o outro não possa dá-la porque não sabe como fazer. Então, o que resta é a triste, dura e fria solidão.

A vida a dois, o relacionamento humano, é uma tarefa complicada de ser executada. Temos de amar, cuidar e fazer o outro feliz. Mas, e quando um cônjuge não consegue fazer o outro feliz, não consegue ser um marido-companheiro ou uma esposa-companheira? Nestes casos, como driblar a solidão?

Para tanto, faço-lhe as seguintes recomendações:

1) Construa pontes e passe sobre elas
Johannes Peter Schmitt escreveu o seguinte pensamento: "As pessoas sentem-se solitárias porque sobem por muros, ao invés de atravessar pontes". Retire as barreiras que dificultam a aproximação de seu cônjuge e construa novas possibilidades em seu relacionamento conjugal, novos canais de comunicação, procure ver as situações de maneira descomplicada, deixe seu coração aberto e sorria. Quem sabe assim você derruba a muralha que está a sua frente!
Se de todo for impossível você ter um cônjuge companheiro e amigo, peça a Deus que coloque em sua vida um/a amigo/a bem especial, daqueles que você pode confiar plenamente, fazer confidências e orar juntos.

2) Faça da solidão um momento de oração
Em Mateus 14.23 vemos que Jesus "Tendo despedido a multidão, subiu sozinho a um monte para orar. Ao anoitecer, ele estava ali sozinho". A oração é vital para nossa comunhão com Deus. Aprendamos com o exemplo de Jesus.

3) Tire proveito da solidão
Sabiamente, Pe. Sertillanges escreveu "O retiro é o laboratório do espírito; a solidão suas asas. Todas as grandes obras foram preparadas no deserto, inclusive a Redenção". Jesus passou em agonia a solidão no Getsêmani e, logo depois, redimiu a humanidade. Escritores e poetas produzem belíssimas obras na solidão de seus pensamentos. Pessoas, de todos os lugares do mundo, tornam-se mais humanas e solidárias na solidão de um hospital ou de atroz sofrimento. A solidão não é de todo má; ela pode ser um perfeito laboratório para seu caráter e personalidade.

4) Aprecie sua própria companhia
Se você não suporta a si mesmo, quem mais suportará? Seja uma boa companhia para si mesmo; cuidado com a amargura, os pensamentos maus. "É você a pessoa responsável pela sua maneira de sentir. Você sente aquilo que pensa e pode aprender a pensar de modo diferente sobre qualquer coisa - se resolver fazê-lo.", escreveu Dr. Wayne W. Dyer, no seu " Seus Pontos Fracos". Decida alimentar sua alma de alegria, pensamentos otimistas, cânticos de louvor. Aprenda a não ser infeliz, a não se sentir só.

5) Sinta a presença de Deus
Não nos sentimos sozinhos quando Deus esta conosco. Foi assim com Jesus, eis sua declaração: Aproxima-se a hora, e já chegou, quando vocês serão espalhados cada um para a sua casa. Vocês me deixarão sozinho. Mas eu não estou sozinho, pois meu Pai está comigo"(Jo 16.32).

Em 1Sm 1, encontramos a história de Elcana e sua esposa Ana. No versículo 8, constatamos o quanto Elcana amava sua esposa. No entanto, não era capaz de compreender-lhe os sentimentos e, provavelmente, Ana sentia-se só. Sua alternativa era buscar a presença de Deus - assim fez e foi grandemente recompensada. A solidão de Ana transformou-se em comunhão com o Senhor.
Agar é outro exemplo vivo das páginas da Bíblia (Gn16,21). Por duas vezes, extremamente só na solidão do deserto, ela teve um encontro com Deus. A partir desse encontro, encheu-se de esperança e de vida.

Quando não é possível mudar as circunstâncias a sua volta, mude as suas perspectivas sobre essas circunstâncias! Com certeza Deus estará com você.



Fonte: Click Familia



Colaboração: Adelman Santos

Índice :: Imprimir :: Enviar a um Amigo
 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.