Pesquisar

Ministérios

Login

Usuário:

Senha:


Esqueceu a senha?

Internauta, siga-nos!

Faça um postSiga-nos no TwitterSiga-nos no Twitter

Usuarios on-line

9 visitantes online (1 na seção: Artigos)

Usuários: 0
Visitantes: 9

mais...
Amor e limite, uma parceria que dá certo.
  Enviado em 06 Aug 2011 por Erico (736 leituras)

Vivemos numa geração de adolescentes que têm como principal característica a falta de limite. Muitos pais reclamam que perderam o controle sobre o filho adolescente, e já não sabem mais o que fazer. O pior é que além dos pais, muitos adolescentes e jovens também não estão respeitando professores, líderes, policiais e todo tipo de autoridade.

A sensação que tenho muitas vezes, vendo ou lendo os jornais, é que o limite já não existe, e que cada um faz o que quer. Histórias e mais histórias de indisciplina, desrespeito são ouvidas em gabinetes pastorais, clínicas, salas de atendimento, juizado de criança e adolescentes e até mesmo nas delegacias de polícia.

Essa realidade é resultado de um processo que vem de longo tempo. O ser humano normalmente tem a tendência de viver os extremos. Por isso, mesmo muitas famílias que um dia viveram sobre uma total repressão e sofreram com o abuso de poder, escolheram viver o oposto do que viveram, e com isso os filhos crescem debaixo de uma filosofia mundana e diabólica, na qual não existe limite.

O amor e o limite, para muitos, não caminham juntos. A ideia defendida por muitas famílias, mídia, liderança pública é que disciplinar ou colocar o limite não é o melhor caminho. Já ouvi muitas pessoas dizerem: “Disciplinar ou colocar limites é reprimir, é voltar ao tempo, é ditadura, é exagero, é não amar.” A ideia defendida é que alguém que ama não corrige, não fica “pegando no pé”.

Em toda Bíblia, Deus teve o cuidado de ensinar sobre limite e amor. Percebe-se que os princípios do amor e limite sempre caminham junto. Em Provérbios 3.12 diz: “Pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem. A Palavra de Deus mostra também que o limite livra o ser humano do pior. Isso é demonstração de amor.

Não se pode disciplinar ou colocar limite de verdade em alguém se não tiver amor, pois quando alguém disciplina o outro com outra motivação, esse está punindo, reprimindo ou até mesmo agindo para prejudicar o outro. Colocar limite é corrigir com vara (no caso dos pais), é estabelecer regras, é dar responsabilidade, é corrigir tomando atitudes firmes, é dizer não. Isso só faz quem ama, pois tudo isso dá trabalho.

Limite não tem nada a ver com espancamento, repressão, ofensa, humilhação, exposição ao ridículo. Limite tem a ver com amor. Por isso os pais não devem deixar de cumprir um princípio bíblico tão importante por causa dos exageros de alguns que não conhecem a Deus e sua Palavra. Portanto, o limite é maior atitude de amor que um pai ou autoridade pode demonstrar. A parceria do amor e o limite dá sempre certo e seus resultados são duradouros.




Fonte : Bruno Bacelar Dias
Pastor da Rede de Adolescentes da Igreja Batista da Lagoinha

Por : Marketing IBRedonda

Índice :: Imprimir :: Enviar a um Amigo
 
Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.